PUBLICIDADE

Adega do Monte Branco: 20 anos de história, 10 de enoturismo

A Adega do Monte Branco, localizada em Estremoz, celebra em 2024 os seus primeiros 20 anos, metade destes a oferecer enoturismo. Luís Louro fundador, produtor e enólogo, refere muitas vezes que no mundo do vinho só os primeiros 200 anos é que são difíceis. António Pé-Curto (texto)

Na crónica do mês passado descrevemos a teoria da experiência económica, que defende que os consumidores procuram experiências relacionadas com “entretenimento”, “educação”, “estética” e “evasão”. Este mês iremos “visitar” a Adega do Monte Branco e enquadrá-la nesta teoria.

Na Adega do Monte Branco, o enoturismo começou a ser aposta em 2014, inicialmente com uma oferta menos estruturada. A partir de 2019 passou a contar com uma equipa a tempo inteiro e programas bem definidos.

Desde que começaram a oferecer programas de enoturismo, Luís Louro e Inês Capão, também ela enóloga na Adega do Monte Branco, perceberam que estavam essencialmente equipados para oferecer experiências mais educativas, que permitissem aos consumidores entender o vinho e os seus processos.

Todos os programas começam na vinha e são desenhados para transmitir aos visitantes as características do solo, do clima, das castas, da topografia, da biodiversidade, da viticultura e das pessoas que ali trabalham.

Vindos da vinha, entra-se pela adega onde se explicam os processos de vinificação, por fim termina-se na sala de barricas onde os vinhos estagiam. Esta parte inicial tem como objetivo transmitir aos enoturistas a arte e a ciência de fazer vinho.

Após o percurso das uvas, é hora das provas. Na Adega do Monte Branco acredita-se que os vinhos são indissociáveis da gastronomia, por isso todas as provas são acompanhadas de produtos regionais alentejanos. Desde a prova mais simples até à experiência mais complexa (um dia com o enólogo), há sempre um objetivo comum: transmitir conhecimento sobre as castas, sobre a vinificação e sobre a técnica de prova. Este conhecimento é essencial para entender os vinhos, preservar e valorizar a cultura vitivinícola.

As castas são a base da diversidade dos vinhos, influenciando diretamente o seu sabor e aromas, enquanto a vinificação determina as características finais, congregando tradição e inovação. Já a técnica de prova permite explorar os diferentes aspetos sensoriais do vinho, promovendo uma apreciação mais consciente e informada. A Adega do Monte Branco não só oferece vinhos excecionais, mas também proporciona aos visitantes a oportunidade de se envolverem na cultura e história do Alentejo através da gastronomia.

Mensalmente, a Adega promove um almoço com comida típica alentejana, celebrando pratos tradicionais como cozido de grão, sopa de tomate e ensopado de borrego. Claro que nas sobremesas não faltam os doces conventuais. Todos os pratos são elaborados na cozinha da Adega, respeitando e homenageando a gastronomia de Estremoz. Todos estes momentos são planeados para que os enoturistas compreendam melhor o mundo do vinho e apreciem a autenticidade da região.

A Adega do Monte Branco destaca-se, também, pela preocupação com a sustentabilidade e respeito pelo ambiente, implementando práticas agrícolas sustentáveis e técnicas de viticultura que preservam a biodiversidade local. Esta abordagem não só contribui para a produção de vinhos de alta qualidade, mas também reforça o compromisso da Adega com as gerações futuras. Esta interpretação do enoturismo não só enriquece a experiência dos visitantes, como também fortalece os produtores locais e sustenta a economia das regiões vitivinícolas.

O prazer de entender e provar vinhos eleva esta experiência a um nível sensorial e cultural único, criando momentos memoráveis e experiências que perduram. Por isso, junte os seus amigos e viva um dia na Adega do Monte Branco. Faça o seu próprio blend, prove diretamente das barricas, almoce com os enólogos e aprecie a vista do Castelo de Estremoz.

Classificação da Adega do Monte Branco à luz da teoria da experiência económica: quadrante da Educação

Adega do Monte Branco

www.adegamontebranco.com

Enologia: Luís Louro e Inês Capão

Como marcar:
Telefone: 268 098 077 ou através do e-mail: [email protected]

Como chegar:
Indo pela A6, sair em Estremoz. Ao entrar na N4, virar à esquerda para Estremoz. Na rotunda, sair à esquerda, em direção Sousel. Ao final de 1 km entrar num portão do lado direito que diz Quinta da Esperança. Passar a adega da Quinta da Esperança e seguir até ao topo. Encontrará logo de seguida a Adega do Monte Branco do seu lado direito.

Coordenadas GPS:
38.855151, -7.605915

Partilhar artigo:

edição mensal em papel

PUBLICIDADE

Opinião

PUBLICIDADE

© 2024 Alentejo Ilustrado. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por WebTech.

Assinar revista

Apoie o jornalismo independente. Assine a Alentejo Ilustrado durante um ano, por 30,00 euros (IVA e portes incluídos)

Pesquisar artigo

Procurar