PUBLICIDADE

Ahresp: Dois restaurantes do Alto Alentejo candidatos a melhor do ano

As votações para os prémios da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (Ahresp) decorrem online até ao próximo dia 20 de maio. Há um hotel e dois restaurantes alentejanos entre os finalistas.

Com esta iniciativa, na sua oitava edição, a Ahresp diz pretender “distinguir o melhor que se faz em Portugal e além-fronteiras” nos setores da restauração, alojamento e promoção turística. Durante três meses, o comité de seleção percorreu o país “para identificar projetos que reunissem as características para serem candidatos aos prémios”. 

Daí resultaram 50 finalistas, agrupados em dez categorias. Entre eles há três alentejanos: os restaurantes Páteo Real (Alter do Chão) e Tombalobos (Portalegre) e o hotel Malhadinha Nova (Albernoa, Beja).

O Páteo Real é um restaurante que tem na sua génese as tradições alentejanas, mas onde as técnicas de confeção são adaptadas à cozinha moderna. Liderado pelo chef Filipe Ramalho, o restaurante aposta numa carta de raiz alentejana.

No dossier de candidatura assinala-se que a carta apresentada “é um reflexo da gastronomia local, dos produtos e produtores locais e dos traços culturais da região. Não só naquele que é o funcionamento diário, mas também nos eventos que são aqui promovidos, como é o caso do dia da matança”, que junta a “arte da cozinha”, os cantares típicos da região e os vinhos.

O Tombalobos nasceu em junho de 2002 pelas mãos do chef José Júlio Vintém e da sua mulher Catarina Ponce Álvares. Ao longo destes 22 anos teve várias moradas, mas sempre em Portalegre, estando neste momento na zona histórica da cidade, num ambiente intimista e cheio de tradição onde se concilia gastronomia e vinhos com cultura e arte.

“A comida do Tombalobos está repleta de aromas e sabores da Serra de S. Mamede”, sublinha o dossiêr de candidatura, destacando que José Júlio Vintém “é um adepto do uso e abuso das ervas aromáticas bem como adora incorporar nos seus pratos o que a terra nos dá, como os cogumelos, os espargos, as bagas e os frutos silvestres que conferem um carácter único as suas criações”.

Já a Malhadinha Nova é a única candidatura alentejana a melhor alojamento turístico. Aqui não só se produzem vinhos de alta qualidade, como também se oferece uma experiência completa e única de agroturismo de luxo, que inclui alojamento, gastronomia e diversas atividades relacionadas com natureza e enologia.

“Convidamos todos os nossos hóspedes a tornarem-se parte integrante dos 610 hectares da propriedade através de um vasto leque de atividades que os colocam em contacto direto com a natureza”, refere a Malhadinha Nova no dossiê de candidatura, assegurando que a sua “enorme preocupação com a necessidade de partilhar e preservar conhecimento, saberes e tradições resulta num envolvimento das comunidades locais de artesãos, músicos, artistas em várias áreas da herdade, seja nos materiais utilizados na construção e recuperação das ruína”.

A votação está a decorrer nesta página.

Partilhar artigo:

edição mensal em papel

Opinião

PUBLICIDADE

© 2024 Alentejo Ilustrado. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por WebTech.

Assinar revista

Apoie o jornalismo independente. Assine a Alentejo Ilustrado durante um ano, por 30,00 euros (IVA e portes incluídos)

Pesquisar artigo

Procurar