PUBLICIDADE

Alandroal: Turismo cresce mais de 70% impulsionado pela praia

A procura turística no con- celho de Alandroal está a crescer a um ritmo superior ao da média regional e a “culpa” é da praia fluvial das Azenhas d’El Rei. Em dois anos, o número de dor- midas no concelho registou um crescimento na ordem dos 72%. Luís Godinho (texto)

A praia, a primeira no concelho de Alandroal, foi inaugurada em junho de 2022. E, nesse ano, a procura turística no concelho praticamente igualou os níveis de pré-pandemia, com as diversas unidades hoteleiras a venderam 11.379 dormidas. Os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) comprovam que a partir desse momento houve um crescimento exponencial na procura turística no concelho, tendo 2023 fechado com 15.115 dormidas, um crescimento de 72% face a 2021, quando a praia ainda não tinha sido inaugurada e numa época ainda marcada pela pandemia de covid-19.

Num ano, entre 2022 e 2023, as unidades de alojamento registaram um crescimento de 32,8% nas dormidas, sobretudo nos meses de agosto (quando foram vendidas 3360) e julho (1919). “Temos cada vez mais respostas na região, há mais alojamentos e há mais condições para receber pessoas, há mais infraestruturas de recreio e de lazer”, resume o presidente da Câmara de Alandroal, João Grilo, acrescentando que além da procura turística, agora impulsionada pela praia fluvial, o território está também a ser “mais procurado por pessoas que se querem instalar na região para aqui construírem uma segunda habitação e fazerem os seus programas de férias”.

Tudo somado, João Grilo diz que “há cada vez mais pessoas a circular” pelo concelho, sendo que a época balnear arrancou no passado dia 1 de junho e, uma vez mais, a praia das Azenhas d’El Rey voltou a hastear a bandeira azul, que premeia a qualidade da água e o ordenamento do espaço. “Também percebemos que os portugueses mudaram um pouco os seus hábitos e passaram a procurar mais os territórios do interior, mesmo no verão, pelo que as nossas perspetivas para esta época balnear são muito boas”, assegura.

Segundo o INE, 94,6% das dormidas no concelho de Alandroal são de clientes portugueses, sendo que a procura nos primeiros três meses de 2024 já é superior à do ano passado, até agora o melhor ano de sempre. Para o crescimento sustentado, lembra o presidente da Câmara, contribui igualmente a existência de mais oferta. “Este ano temos mais uma unidade de cinco estrelas, com 24 quartos, mais alguns alojamentos locais que foram abrindo ao longo dos últimos meses, é uma oferta que se junta à já existente e continuará a impulsionar o setor”, diz João Grilo, revelando que ao Município já chegaram “outros projetos técnicos para licenciamento” de mais unidades hoteleiras.

O autarca lembra que, além da praia, o concelho tem outros “trunfos”, a começar pelo património histórico e pela gastronomia, sem esquecer as piscinas municipais, “têm uma qualidade elevada e, por isso, são também um atrativo muito grande”, e a animação turística. Além do mais, assegura, “está totalmente desmistificada a ideia segundo a qual uma praia fluvial tem menos qualidade ou é menos atrativa que as do litoral”, um “salto qualitativo” que só foi possível, a nível regional, pelo empreendimento de Alqueva e pelos equipamentos balneares que têm vindo a ser construídos. “As condições de segurança, acessibilidade e tranquilidade destas praias são totalmente diferentes”.

Localizada nas Azenhas d’El Rei, próximo da aldeia de Montejuntos, a praia resultou de um investimento na ordem de um milhão de euros, incluindo acessibilidades, dispõe de um areal de 148 metros e de diversas infraestruturas, como parque de merendas, zona de lazer ou an- coradouro, bem como um restaurante, denominado Raya, que promete “uma viagem sensorial a todos os que prezam gastronomia sustentável e pretendem cocriar um futuro melhor”.

Além da bandeira azul, tem também o título de “praia acessível”, atribuído pelo Instituto Nacional para a Reabilitação por se tratar de uma praia acessível a pessoas com mobilidade condicionada.

CENTROS NÁUTICOS

Em preparação está agora o lançamento de um concurso público para a construção do Centro Náutico de Juromenha, que conta com um financiamento de 400 mil euros do Turismo de Portugal para a construção de ancoradouro, rampa para barcos, zona de lazer e estacionamento, além de um restaurante e animação turística, a cargo do proprietário do terreno.

“Contamos ter esse processo em andamento ainda durante o verão”, antecipa o presidente da Câmara, revelando que o futuro equipamento terá “todas as condições para a prática de desportos náuticos” e que esta aposta na “valorização de áreas recreativas” junto à albufeira de Alqueva ficará concluída com um outro centro náutico projetado para a zona de Águas Frias, próximo da povoação do Rosário.

Partilhar artigo:

edição mensal em papel

PUBLICIDADE

Opinião

PUBLICIDADE

© 2024 Alentejo Ilustrado. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por WebTech.

Assinar revista

Apoie o jornalismo independente. Assine a Alentejo Ilustrado durante um ano, por 30,00 euros (IVA e portes incluídos)

Pesquisar artigo

Procurar