PUBLICIDADE

GNR registou 480 acidentes com tratores e máquinas agrícolas

A GNR registou em 2023 um total de 480 acidentes envolvendo tratores, mais 10% do que no ano anterior. Os números da sinistralidade com veículos agrícolas foram divulgados este domingo. No total, registaram-se 207 vítimas, 12 das quais mortais.

Feitas as contas, entre 2021 e março de 2024 ocorreram 1396 acidentes rodoviários com veículos agrícolas, dos quais resultaram 39 mortos, 87 feridos graves e 490 feridos ligeiros, num total de 616 vítimas. Em comunicado, a GNR diz que estes dados constituem um “alerta” para a necessidade de “sensibilizar” os utilizados deste tipo de veículos, “e a comunidade em geral para a consciencialização sobre a adoção de comportamentos e regras de segurança”.

Aconselhando ao “cumprimento das regras de segurança deste tipo de veículos”, a mesma fonte refere que “irá continuar a realizar ações de sensibilização dirigidas aos utilizadores de tratores e máquinas agrícolas, com o objetivo de fazer cumprir as medidas de segurança e prevenir a ocorrência de acidentes na manobra de veículos/máquinas agrícolas e florestais”.

Segundo a GNR, uma das principais causas para a sinistralidade no domínio da atividade agrícola ou relacionada, “aponta para a idade avançada do agricultor, a que se alia a necessidade das tarefas agrícolas terem de ser realizadas em intervalos reduzidos de tempo, agravando o cansaço físico, próprio de uma atividade fisicamente exigente”.

Outras das causas apontadas resultam do “excesso de confiança a operar máquinas que, para todos os efeitos, são perigosas” e, que por vezes, decorrem da “falta de formação” para o seu manuseamento. “Denota-se que, mais de 50% dos tratores não dispõem de estruturas de proteção, sejam elas arcos ou cabines, acessórios importantíssimos para a segurança do trabalhador”, sublinha a Guarda, aconselhando a adoção de comportamentos de segurança, entre os quais a manutenção dos veículos ou a instalação de estruturas de proteção que “podem evitar a morte do condutor ou reduzir a gravidade dos ferimentos”.

Sendo o capotamento “a principal causa a provocar vítimas”, a GNR recorda ser obrigatório “circular com arco de segurança, erguido e em posição de serviço (esta obrigatoriedade aplica-se aos tratores homologados com esta estrutura), bem como a utilização do cinto e demais dispositivos de segurança com que os veículos estejam equipados”. 

“Além disso”, acrescenta, “os tratores e máquinas agrícolas ou florestais e as máquinas industriais estão agora obrigados a possuir avisadores luminosos especiais (rotativo de cor amarela)”.

Partilhar artigo:

edição mensal em papel

Opinião

PUBLICIDADE

© 2024 Alentejo Ilustrado. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por WebTech.

Assinar revista

Apoie o jornalismo independente. Assine a Alentejo Ilustrado durante um ano, por 30,00 euros (IVA e portes incluídos)

Pesquisar artigo

Procurar